Páginas

sexta-feira, 26 de maio de 2017

once I dreamt | Pistache


Hoje eu te vi. Vieste a mim com aquele jeito dengoso querendo carinho, se jogando no chão para que acariciasse teu pelo, tão branco e macio. Miaras agudo, como sempre fizeste, como se ainda fostes meu mimado filhote. E com o afago, e as coçadinhas atrás da orelha, ronronavas alto - "um motorzinho", mamãe dizia. Até me lembrar que não está mais aqui. Onde quer que esteja, esteja em paz. ♥ inmemoriam

domingo, 16 de abril de 2017

croniquinha | ainda há poesia

Vista de Pancas/ ES a partir da rampa de voo livre Clementino Izoton da Pedra da Colina.

Suba a pé e sinta o ar puro da montanha e o perfume dos eucaliptos. Veja as borboletas laranjas, brancas, azuis e amarelas voando ao seu lado pelo caminho. Ouça o barulho do zunido das abelhas, do canto dos pássaros, e dos gritos dos macacos. Perceba sua respiração ficando mais forte, porque seu corpo é maravilhoso e exige mais combustível para queimar.
Os mais novos seguirão na frente com a ansiedade de conhecer a vista do lugar. Os mais velhos, atrás, relembrando a cada passo o tempo na roça onde faziam armadilhas de folha de ubaúba e quando ainda podiam cortar palmito da mata.
E finalmente lá encima as pedras serão recompensa, criações da natureza para o encantamento do homem.

buddhism | aceitação daquilo que é



lembre-se: a vida não seguirá você; é você que precisa seguir a vida
OSHO

Muitas vezes, comecei e parei. O estímulo acabava, a objetividade se perdia. A vontade, entretanto, sempre retornava. Vontade de escrever, vontade de ser lida. E sempre pensava: "não manterei esse nem aquele texto, eles não são mais parte do meu presente, do que eu sou e vivo". Mas aí está a grande verdade: somos nada além de ser e deixar de ser a todo o momento; somos fluido, inconsistência; somos rio, cuja água nunca permanece a mesma; somos impermanência. Aceito esta condição e reconheço-a em todos os seres como a maravilhosa mágica do existir.

mais lidas: